Blackmore´s Night – Autumn Sky

CD Review

Ciro Hiruma

Para quem não conhece, Blackmore´s Night é a banda fundada por Ritchie Blackmore, ex-guitarrista do Deep Purple e Rainbow, e sua esposa, a vocalista Candice Night. A proposta inicial da banda era trabalhar um som acústico, com influências da música medieval e folk europeu. Porém, nos últimos tempos, o grupo passou a ganhar mais peso e eletricidade, como mostrou o álbum anterior, Secret Voyage. Então a expectativa deste lançamento era grande, saber qual rumo a banda tomaria.

“Highland” abre o CD. É uma composição do casal Peter e Nanne Grönvall, da banda sueca One More Time. A versão original de 1992 era um pop repleto de sintetizadores, mas que deixava clara a origem celta da canção. Blackmore tornou tudo menos eletrônico, apesar de manter uma boa base de sintetizadores. A melodia ganhou um padrão mais rock, guitarra e bateria mostram sua força. Curiosidade: Peter Grönvall é filho de Benny Andersson, ex-ABBA.

Candice Night (Foto: Divulgação)

Candice Night (Foto: Divulgação)

Contudo, esta não é a única cover do álbum. “Journeyman (Vandraren)”, da banda Nordman (mais uma da Suécia), abre com flautas, um estilo cigano mesclado com um andamento bem pop. Tem um solo de guitarra sintetizada e o interesse não vai além disso.

O Blackmore´s Night sempre gosta de gravar uma versão de banda famosa. Desta vez é “Celluloid Heroes”, do álbum Everybody’s in Show-Biz (1972), do Kinks. A mudança foi acentuada: a música recebeu uma sonoridade que se aproxima dos músicos folk norte-americanos Joan Baez e Bob Dylan. A ideia deu certo, ponto positivo.

Ritchie Blackmore não deixa que esqueçam do seu passado. “Vagabond (Make a Princess of Me)” lembra demais o tom melancólico de “Soldier of Fortune”, é como se as notas do violão fossem uma continuação da antológica música do Deep Purple. E os fãs do grupo vão reconhecer imediatamente “Keeper of the Flame”. É uma menção honrosa a “Pictures of Home” do álbum Machine Head. A mesma estrutura rítmica, violino percorrendo uma melodia semelhante e solos típicos do guitarrista. Candice mostra muita presença e segurança no vocal. Como diz o título da música, é preciso “manter a chama”.

Apostando no Oriente Médio, Blackmore troca de instrumento por um instante e usa o hurdy gurdy em “All the Fun of the Fayre”, para trazer um clima festivo, um toque indiano. Um momento divertido, alto astral, mas longe de ser especial.

Sobre as baladas, “Believe in Me” é bela, violino e guitarra que recorda a era Rainbow, em especial as músicas instrumentais com títulos alemães: “Vielleicht Das Nächste Mal (Maybe the Next Time)” e “Weiss Heim”.

Mas nem tudo vai bem nas demais: “Strawberry Girl” tem algo de idílico, campestre, um tom meio psicodélico e um clima Woodstock. Não acrescenta muito ao álbum. “Healthy to the Company” tem como destaque a ótima interpretação de Candice, que está com o vocal cada vez mais consistente e maduro, mas a composição repete trabalhos anteriores do grupo.

Ritchie Blackmore (Foto: Divulgação)

Ritchie Blackmore (Foto: Divulgação)

O que também não traz novidades são as vinhetas: “Song and Dance” e “Night at Eggersberg” desempenham o papel de coadjuvantes no repertório.

“Barbara Allen” é uma canção tradicional do folk escocês. Sua primeira aparição data de 1666. Conduzida principalmente por voz e violão, conta a triste história de um homem que está morrendo em virtude de um amor não correspondido. Sua amada é chamada, mas tudo que pode fazer é vê-lo falecer. Em seguida, a jovem também morre de tristeza. Em seu túmulo cresce um arbusto, e de lá uma rosa. Uma lenda curiosa e interpretação excelente de Candice Night.

Autumn Sky é um bom trabalho, mas mostra que o som da banda está repetitivo. Como se não houvesse novos caminhos a seguir. É o sentimento de estar preso, limitado a um gênero sonoro. Não existe nenhuma composição com a pegada rock de “Locked Within the Crystal Ball”, do álbum anterior, Secret Voyage. O próximo passo precisa ser estudado com cuidado. A inovação é essencial.

Blackmore´s Night: Ritchie Blackmore (guitarra, bandolim, hurdy gurdy), Candice Night (vocal, sopros, percussão), Bard David of Larchmont (teclados), Squire Malcolm of Lumley (bateria), Gypsy Rose (violino), Mike Clemente (baixo, bandolim e guitarra)

Link:

Site Oficial do Blackmore´s Night

Leia também:

Blackmore´s Night – Secret Voyage

Leave a Reply