Banda Vega – Centro Cultural 28/06/2008

Claudia GomesSHOW REVIEW

 

Ciro Hiruma

Sem São Paulo
O meu dono é a solidão
Diga sim, que eu digo não
…Desperta, São Paulo…

Ouvir os versos desta música, “São Paulo”, em pleno Centro Cultural, no coração da metrópole, é um privilégio que a Banda Vega pode oferecer. Foi uma noite especial com várias surpresas e uma notável energia sonora.

Convidados para a abertura do espetáculo, Celso Cardoso (vocal) e Luiz Márcio (violão) apresentaram músicas conhecidas em versões sensíveis e intimistas, como é o caso de “Bete Balanço” (Barão Vermelho), “Nós” (composição de Tião Carvalho, sucesso de Cássia Eller) e “Por Enquanto” (Legião Urbana). Deixaram o palco sob vigorosos aplausos.

O show da Banda Vega começou com um ótimo solo de guitarra de Marcos Kleine, enquanto os demais músicos entravam gradualmente no palco. Bastou a presença de Claudia Gomes e “Incondicionalmente” apresentou um grupo repleto de entusiasmo, ótimos músicos e uma sonoridade com um ingrediente difícil de se encontrar hoje: a originalidade.

O ecletismo é um componente essencial, o currículo dos músicos apresenta toda a experiência que cultivaram até hoje, no rock, pop e punk, entre outros estilos. O grupo é uma unidade sonora, porém repleta de influências.

A escolha do repertório foi especialmente feliz, buscou o equilíbrio entre os dois CDs da banda. “Flores no Deserto”, a faixa-título do trabalho de estréia, é um tema indispensável nos shows. “Herói”, da novela Alta Estação (Rede Record, 2007), é um grande momento do álbum Novos Tempos, uma música que merece ser mais divulgada pela mídia.

Banda Vega

O perfeito medley “O Sonho Acabou/ Mundo de Ilusões” deve muito ao  entrosamento da seção rítmica da banda, o baixista Mingau e o baterista Caio Mancini. “Setembro” é sem dúvida uma das grandes composições do grupo, a sensibilidade de Claudia nos versos muito criativos: “E não adianta afogar as minhas mágoas depois que elas aprendem a nadar”.       

“Não Há Mais Como Voltar” fala sobre o receio das mudanças na vida, o inesperado e as adversidades, mas é preciso seguir sempre em frente: “Não, não há mais como voltar/ Não, é hora de caminhar/ Não, passos são difíceis de dar/ Não, o melhor está em algum lugar”. A sonoridade segue a mesma idéia, dinâmica e empolgante, um olhar em direção ao futuro.        

O convidado especial Leo Jaime dividiu os vocais com Claudia em “A Fórmula do Amor”, parceria do cantor com Leoni e sucesso do Kid Abelha. Foi muito festejado pelo público.

Quando a Banda Vega faz a versão de uma música conhecida, é certo que um toque pessoal é acrescentado. Exatamente o que acontece em “Rome Wasn’t Built in a Day”, da banda britânica Morcheeba, mais uma agradável surpresa no repertório, um suingue vibrante. “Agora Só Falta Você”, de Rita Lee, percorre o mesmo caminho. 

Para encerrar em grande estilo, é a vez de ”Construção”, de Chico Buarque. A banda “desconstruiu” a composição, mas manteve seus “alicerces”, acrescentou criatividade e peso, uma incrível levada rock.

Para a Banda Vega, cada CD lançado é um novo tempo, um momento de mudança. E quem ainda não descobriu que Claudia Gomes é uma das melhores vocalistas do Brasil hoje?

Banda Vega no Centro Cultural: Claudia Gomes (vocal), Marcos Kleine (guitarra), Mingau (baixo e backing vocals), Caio Mancini (bateria), André Youssef (teclados), Luciano Gomes (backing vocals) 

Fotos do Show no Flickr

Assista o clipe “Flores no Deserto”

Banda Vega Links:

Home Page Oficial

Youtube

MySpace

Blog da Claudia Gomes

Leave a Reply